Conheça os tipos de vestimentas dos peões gaúchos


Publicado por hagah em 31/08/2010 , atualizado em 14/08/2015

A vestimenta típica é um dos diversos legados da cultura gaúcha. Usar a pilcha corretamente é uma forma de preservar o patrimônio social. Para ensinar prendas e peões a se vestirem de maneira adequada, o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) estabeleceu diretrizes para a pilcha gaúcha em diversas ocasiões.

Uma das características que merece ser destacada é a sobriedade da vestimenta. “A pilcha do gaúcho é simples, sem muito rebuscamento”, define Paulo Roberto Rossal Guimarães, presidente do Conselho Municipal de Cultura. O secretário-geral do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Élio Ferreira, concorda: “O gaúcho sempre foi discreto, ele prima pela discrição”. Guimarães e Ferreira ajudaram o hagah a esclarecer detalhes das regras estabelecidas pelo MTG. Confira:

Pilcha para Atividades Artísticas e Sociais

Este tipo de indumentária é a mais apropriada para atividades cotidianas, apresentações artísticas e participações sociais, como bailes, congressos e representações.

Bombachas

  • Tecidos: Brim (não jeans), sarja, linho, algodão, oxford, microfibra.
  • Cores: Claras ou escuras, sóbrias ou neutras, tais como marrom, bege, cinza, azul marinho, verde-escuro, branca. Não é adequado usar cores agressivas, chamativas, fugindo das cores contrastantes e cítricas, como vermelho, amarelo, laranja, verde-limão, cor-de-rosa.
  • Padrão: Liso, listrado e xadrez discreto.
  • Modelo: Cós largo sem alças, dois bolsos na lateral, com barra abotoada no tornozelo.
  • Favos: O uso de favos e enfeites de botões depende da tradição regional. As bombachas podem ter, nos favos, letras, marcas e botões. Apenas as roupas de época não podem ter marcas.
  • Largura: Com ou sem favos, coincidindo a largura da perna com a largura da cintura, ou seja, uma pessoa que use suas bombachas no tamanho 40, automaticamente deverá ter, aproximadamente, uma largura de cada perna de 40 centímetros.

“A largura das bombachas, na altura das pernas, deve caracterizá-la como tal, tomando cuidado para não ser confundida com uma calça normal. Bombacha não pode ser apertadinha. Até existe uma região do Rio Grande do Sul e da Argentina onde as bombachas são um pouco mais estreitas, mas não chegam a ser justas”, enfatiza Guimarães.

As bombachas deverão estar sempre para dentro das botas.

É vedado o uso de bombachas plissadas e coloridas.

Camisa

  • Tecido: Preferencialmente algodão, tricoline, viscose, linho ou flanela, microfibra (não transparente), oxford.
  • Padrão: Liso ou riscado discreto.
  • Cores: Sóbrias, claras ou neutras, preferencialmente branca. Evitando cores agressivas e contrastantes. Não é indicado usar camisa vermelha, por exemplo.
  • Gola: Social, ou seja, abotoada na frente, em toda a extensão, gola e punho ajustado com um ou mais botões.
  • Mangas longas: Para ocasiões sociais ou formais, como festividades, cerimônias, fandangos, concursos.
  • Mangas curtas: Para atividades de serviço, de lazer e situações informais.
  • Camiseta de malha ou camisa de gola polo: Exclusivamente para situações informais e não representativas. Podem ser usadas com distintivo da Entidade, da Região Tradicionalista e do MTG.

É vedado o uso de camisas de cetim e estampadas.

Botas

  • De couro liso nas cores: preto, marrom (todos os tons) ou couro sem tingimento.

É vedado o uso de botas brancas. As botas “garrão-de-potro” são utilizadas exclusivamente com traje de época.

A altura do cano varia de acordo com a região. Normalmente o cano vai até o joelho.

Colete

  • Se usar paletó, o peão poderá dispensar o colete.
  • Utiliza-se o mesmo tecido e cor das bombachas, ou tom semelhante, sem mangas e sem gola, abotoado na frente. Na parte das costas do colete, é indicado um tecido leve, ajustado com fivela, de uma cor só, no comprimento até a altura da cintura.

Cinto (guaiaca)

  • Tendo de uma a três guaiacas, internas ou não, com uma ou duas fivelas frontais, ou de couro cru, com ou sem guaiacas, mas sempre com uma ou duas fivelas frontais. Ambos deverão ter no mínimo 7 centímetros de largura.

Chapéu

  • De feltro ou pelo de lebre com abas a partir de 6 centímetros, e a copa de acordo com as características regionais.

É vedado o uso de boinas e bonés.

Paletó

  • Usado especialmente para ocasiões formais, podendo ser do mesmo tecido e cor das bombachas.

É vedado o uso de túnicas militares substituindo o paletó.

Lenço

  • No caso do uso com algum tipo de nó, com a medida de 25 centímetros a partir deste.

Com o uso do passador de lenço, com a medida de 30 centímetros a partir deste. Nas cores vermelho, branco, azul, verde, amarelo, ou carijó nas cores supracitadas. É possível, ainda, carijós em marrom ou cinza. “O tamanho do lenço costuma ser o erro mais frequente. Mas se for para ir a um evento que não seja uma representação ou algo mais formal, é preferível que esteja com o lenço mais curto do que esteja sem lenço”, explica o secretário-geral do MTG.

Faixa

  • Opcional, se usada deverá ser lisa, na cor vermelha, preta de lã ou bege cru (algodão), de 10 a 12 centímetros de largura.

Esporas

  • Trata-se de peça utilizada nas lides campeiras. Nas representações coreográficas de danças tradicionais é admissível o seu uso.

É vedado o uso de esporas em bailes e fandangos.

Pala

  • De uso opcional. Se usado deverá ser no tamanho padrão, com abertura na gola.
  • Poderá ser usado no ombro, meia-espalda, atado da direita para a esquerda. Poderá ser usado em todos os trajes.

Faca

  • O uso da faca é opcional nas apresentações artísticas e vedado nas demais atividades sociais.