Conheça os tipos de vestimentas das prendas gaúchas


Publicado por hagah em 31/08/2010 , atualizado em 12/08/2015

A vestimenta típica é um dos diversos legados da cultura gaúcha. Usar a pilcha corretamente é uma forma de preservar o patrimônio social. Para ensinar prendas e peões a se vestirem adequadamente, o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) estabeleceu diretrizes para a pilcha gaúcha em diversas ocasiões. Uma das características que merece ser destacada é a sobriedade da vestimenta. “A mulher açoriana era simples, humilde, trabalhadora”, lembra Neusa Secchi, participante da Comissão Gaúcha de Folclore do Conselho Municipal de Cultura. Ela ajuda a esclarecer detalhes das regras estabelecidas pelo MTG.

Pilcha para atividades artísticas e sociais

Este tipo de indumentária é a mais apropriada para atividades cotidianas, apresentações artísticas e participações sociais, como bailes, congressos e representações. O traje feminino deve representar a mesma classe social do homem.

Saia e blusa ou saia e casaquinho

Podem ser usadas apenas pelas prendas adultas (a partir de 18 anos).

Saia

A barra da saia deve ir até o peito do pé. O corte da saia pode ser godê, meio-godê ou em panos. Neusa esclarece: “A saia em panos é como se fosse um gomo de laranja, não são camadas, o tecido sai fino na cintura e fica mais largo embaixo”.

Blusa ou bata

De mangas longas, três quartos ou até o cotovelo, decote pequeno, sem expor os ombros e os seios, podendo ter gola ou não.

Casaco

De mangas longas, gola pequena e abotoado na frente.

Vale para casaco, blusa ou bata

As mangas estilo boca de sino e morcego estão proibidas. Podem ter bordados discretos, babado simples, botões, nervuras, fitas, porém a saia deve ser lisa.

Casadas e solteiras

O traje da mulher casada não difere da mulher solteira. A flor do lado esquerdo para uma e direito para outra é um mito. Neusa esclarece que, segundo as normas do MTG, o lado para prender a flor é indiferente. "A tradição até existe, mas isto não é o cobrado pelo MTG, não há nada de mais fundamentado que distingue o traje da prenda solteira e da casada". O que não é permitido é a flor de plástico. Ela pode ser natural ou de tecido e jamais deve ter brilhos ou purpurinas. A única diferença é que a mulher casada costuma ser mais discreta com enfeites de cabelo, ela costuma usar um pente ou grampo para prender uma parte do cabelo, uma travessa ou um coque.

Acessórios

Pulseiras, relógios e colares estão proibidos, a menos que sejam bem discretos e delicados. Anel simples e delicado está permitido. Tanto na blusa quanto no vestido está permitido o uso de camafeu fechando a gola. Não há problema se ele for de couro, porcelana, pintado, bordado, de pedra, desde que seja discreto.

Vestido

Traje permitido para as prendas mirins, juvenis e adultas. Inteiro e cortado na cintura, de cadeirão (cintura mais baixa), corte princesa (cintura alta, marcando logo abaixo dos seios). A barra da saia deve sempre chegar ao peito do pé para prendas juvenis e adultas. Para prendas mirins o comprimento do vestido é meia canela, em torno de 10 centímetros acima do tornozelo. O caimento da saia do vestido pode ser godê, meio-godê, franzido, com ou sem babados.

As cores devem ser harmoniosas, sóbrias ou neutras, evitando-se contrastes chocantes. Não usar preto, nem combinar as cores da bandeira do Brasil e do Rio Grande do Sul. Na categoria mirim: não usar cores fortes, como, por exemplo, marrom, marinho, verde escuro, roxo, bordô, pink, azul forte.

Saia de Armação

Leve e discreta, na cor branca de comprimento inferior ao do vestido. Se tiver bordados, estes devem se concentrar nos rodados da saia, evitando-se o excesso de armação.

Bombachinha

Branca, de tecido, com enfeites de rendas discretas, abaixo do joelho.

Meias

Devem ser de cor branca ou bege e longas o suficiente para não permitir a nudez das pernas.

Sapatos

Nas cores preta, marrom e bege com tira sobre o peito do pé, que abotoa do lado de fora. Ou botinhas nas cores preta e marrom (vários tons são permitidos). O salto deve ser de, no máximo, 5 centímetros. Não são permitidos sapatos abertos e sandálias.

Cabelos

Podem ser soltos, presos, semi-presos ou em tranças, enfeitados com flores naturais ou de pano, sem brilhos ou purpurinas. As flores não podem ser de plástico. O coque é permitido somente para prendas adultas e veteranas. Prendas mirins também não usam flores na cabeça.

Maquiagem

Discreta e de acordo com a idade e o momento social.

Xale e Fichu

Exclusivo para prendas adultas, com ou sem franjas. A diferença entre eles é que o xale é maior e costuma ser quadrado, e o fichu é menor e triangular.

Capa

Todas podem usar para se abrigar. Pode ser de diversos tecidos, de lã, tricô, crochê.

Confira os principais erros cometidos pelas mulheres em relação às diretrizes da indumentária feminina do MTG:

  • Vestido na altura da canela. O comprimento correto é no peito do pé.
  • Uso do chiripá, peça exclusiva aos homens.
  • Combinar as cores da bandeira do RS ou do Brasil. Um vestido todo amarelo pode, agora no mesmo vestido amarelo, vermelho e verde não é permitido”.
  • Roupas pretas
  • Sapato bico fino e scarpin
  • Sapato aberto ou sandália
  • Mangas muito bufantes
  • Saias rodadíssimas com arames
  • Brincos grandes ou chamativos
  • Tecidos brilhosos como o cetim ou a seda
  • Coque nas prendas juvenis ou mirins
  • Flores nos cabelos das prendas mirins
  • Unhas escuras, chamativas, vermelhas
  • Bombacha em bailes e eventos sociais (só pode usá-las em eventos campeiros).
  • Maquiagem pesada