Adegas conquistam espaço nas casas como área de conforto e lazer


Publicado por hagah em 06/06/2012 , atualizado em 27/01/2015

Compostas por elementos de decoração cada vez mais criativos, as adegas têm conquistado espaço nas residências como uma opção de ambiente para reunir amigos e degustar um bom vinho. Hoje, com a ajuda da tecnologia e da criatividade, os apreciadores dessa bebida conseguem incorporar as adegas em ambientes de uso comum, como a sala de casa ou o espaço gourmet de um apartamento, por exemplo, sem perder a qualidade e o sabor dos vinhos armazenados.

Seguindo essa tendência, os projetos arquitetônicos para as adegas estão cada vez mais criativos, mesclando elementos modernos e rústicos para criar uma atmosfera aconchegante. Para o arquiteto Gustavo Pinto, proprietário da GP Arquitetura, o importante é planejar um ambiente único e personalizado para desfrutar da arte do vinho. “As adegas devem estar próximas dos ambientes sociais ou de contemplação dos espaços naturais e construídos, tornando ainda mais encantador o ritual de se degustar uma boa taça”, ressalta.

Para quem não conta com muito espaço, mas é apreciador da bebida, a dica do arquiteto é investir em adegas climatizadas que propiciam a otimização do espaço e garantem a qualidade e temperaturas ideais para o vinho. Independente do tamanho escolhido para a adega devem-se levar em consideração questões como temperatura e incidência de luz. “O vinho é sensível à luz, por isso, a mesma deve ser controlada. A temperatura constante é muito importante e o ideal é que seja entre 12 e 14 graus. A umidade precisa ser de 65% para que as rolhas não ressequem e percam sua elasticidade permitindo a entrada de oxigênio” explica o arquiteto.

No interior da adega, a dica é investir em materiais diversos e acessórios de decoração, criando um ambiente único e personalizado para tornar ainda mais especial à degustação do vinho. “Elementos mais rústicos em contraste com alguns polidos trazem dinâmica para o espaço. Pedra e madeira contrastam com aço e vidro, por exemplo. No piso, materiais polidos como granito e alguns porcelanatos não são adequados”, completa.