Massagem em bebês promove integração entre mãe e filho


Publicado por hagah em 18/04/2012 , atualizado em 22/01/2015

Trabalho, trânsito, rotina acelerada, todos esses fatores contribuem para que ao final do dia qualquer pessoa peça por uma massagem relaxante. Mas não são apenas os adultos que sentem prazer com esse tipo de massagem. A Shantala, método oriental de massagem no qual o terapeuta orienta a mãe a massagear o bebê, proporciona total relaxamento da musculatura da criança, além de promover um momento especial e de grande interação entre mãe e bebê.

De acordo com a massoterapeuta Luci do Nascimento, a Shantala é usada para acalmar a criança, trazer tranquilidade e fazê-la sentir o toque da mãe, e pode trazer benefícios ao longo dos anos. “A massagem em bebês alivia cólicas e reduz as chances de a criança adquirir a chamada cólica dos três meses. Além disso, a massagem na barriga estimula o melhor funcionamento do intestino”, explica ela, que comenta ainda sobre o efeito da massagem para que a criança se torne um adulto menos nervoso, mais focado e com maior capacidade de concentração.

Como é feita a Shantala
Segundo a massoterapeuta, a prática da Shantala pode iniciar logo após o nascimento e o ideal é que a massagem seja feita até os dois anos de idade da criança. “Quanto antes à mãe iniciar, melhor, porque quanto mais o tempo passar, mais ele vai oferecer resistência e chorar”, considera.

A Shantala é feita nas pernas, braços, barriga, costas, mãos e pés da criança, com movimentos suaves de deslizamento. Diferentemente de um relaxamento de musculatura normal, as mães devem fazer movimentos leves sem pressionar nenhuma região. “Não se compara com uma massagem adulta”, comenta a massoterapeuta.

Luci explica que se a criança apresentar alguma resistência nas primeiras sessões de Shantala, a mãe não deve forçar os movimentos e caso a criança reaja com algum tipo de agitação, o ideal é trocar o local a ser massageado. “Se a mãe vai massagear a mão e a criança fechar o punho e mantê-lo fechado, ela pode mudar o local que está sendo massageado e voltar à mão depois”, completa.