Saiba como ter o cabelo ruivo igual ao de Marina Ruy Barbosa

Saiba como ter o cabelo ruivo igual ao de Marina Ruy Barbosa

Publicado por hagah em 18/08/2011 , atualizado em 11/03/2015

 

Marina Ruy Barbosa faz sucesso com seu cabelo ruivo. A atriz que, quando mais nova, já tinha cabelos ruivos em um tom mais puxado para o laranja, agora adota uma cor um pouco mais escura, com reflexos avermelhados. O responsável pela mudança foi o cabeleireiro Tiago Parente, que também cuida das madeixas de Paolla Oliveira.

O hair stilyst é sócio de um salão no Rio de Janeiro e participou do programa "Por um Fio", do GNT, apresentado por Juliana Paes.

Mulheres de qualquer idade e com qualquer cor de cabelo podem chegar ao tom dos fios de Marina, desde que procurem ajuda de um bom profissional. Mesmo quem tem cabelo bem escuro "tem que fazer um processo de despigmentação, reduzinhdo os tons escuros até chegar a um tom claro", explica o cabeleireiro Édison Soares, do Sexton.

Para Édison, o tom usado no cabelo dela é o 7.4.6, um loiro cobre avermelhado mesclado. "Na gama de cores de 1 a 10, o 10 é o mais claro e 1 mais escuro", esclarece. O código para o cobre é o 44 e para o vermelho, 66. O 7.0 é o loiro. Isso significa que a cor dela tem o fundo com predominância do loiro, arrematado pelo cobre e nuances avermelhados.

O trabalho dos coloristas é complexo. Para chegar ao tom desejado, o processo varia muito de um cabelo para o outro. "O fundo de clareamento é muito importante. Ao descolorir, cada cor de cabelo abre para um tom, que pode ser mais laranja, mais amarelado ou avermelhado. Quanto mais escuro, por exemplo, mais pigmento vermelho tem", explica. Ou seja, fica complicado fazer isso em casa, sozinha, principalmente se você já tem química no seu cabelo.

"Usando uma cor só nunca vai ficar igual, ali tem uma mistura de cores. E ainda tem que observar a volumagem correta da água oxigenada", acrescenta Alexandre Flach, cabeleireiro do Hugo Beauty. As consequências de aplicar a coloração sem o conhecimento necessário são deixar a raiz laranja e as pontas castanhas. "Tem mais calor e ativação sanguínea na raiz por isso penetra mais a pigmentação", enlucida Édison.

Outro ponto importante é a saúde do cabelo. "O profissional vai adicionar à coloração algum produto de reconstrução, com proteínas, vitaminas e aminoácidos. A tinta de boa qualidade já tem todas essas propriedades", lembra o cabeleireiro do Sexton.

Desta forma, ao perder algumas características durante a descoloração, o cabelo já vai recuperando-as durante a tintura, evitando que fique poroso, desidratado, ressecado e opaco. Para quem já tem química no cabelo, o cuidado deve ser ainda maior. "Tem alisamentos e amaciamentos que não são compatíveis com a coloração encontrada em farmácias e supermercados. Essas comerciais costumam ter muitos metais. Então essa mistura não é recomendável fazer em casa, porque danifica muito a estrutura do cabelo", alerta Alexandre.

As únicas que podem tentar experimentar com possível sucesso, são as loiras de cabelos virgens, nos quais nunca foi aplicada nenhuma química.   

A cor cobre para os cabelos costuma cair muito bem para quem tem pele clara por uma questão de contraste. "Fica chique!", afirma Édison. "Mas se tu vai pros Estados Unidos você vê as negras, as latinas usando esse tipo de coloração marcante e ficam super bacanas! As mulheres gaúchas têm que ser mais criativas e ousadas na hora de escolher tanto o estilo de corte como a cor. Elas são muito iguais!", desafia o cabeleireiro.

Tanto que Marina apostou em um tom diferente e está arrasando. Há meses ela lidera os questionamentos da Central de Atendimento da Globo, de telespectadoras que telefonam querendo saber que cor é aquela.